jusbrasil.com.br
23 de Setembro de 2019

MEC cria o curso de Técnico Jurídico! - Sua carreira acabou, doutor?- Que nada! - Agora que ela engrenou!

Perceba que o homem precisa encontrar água, onde só enxergam areia. Precisa ver lavouras prenhes de frutos onde todos só enxergam cactos secos!

Fátima Burégio , Advogado
Publicado por Fátima Burégio
há 2 anos

Os noticiários evidenciam que o MEC publicou no DOU a regulamentação do curso Técnico em Serviços Jurídicos.

Como é notório, a OAB tudo fez para impedir que o curso fosse regulamentado e criado, mas, infelizmente seus esforçou não foram suficientes para impedir tal prática.

Missão cumprida, minha querida e guerreira OAB!

Mas agora, o DOU já publicou a mudança...

Fazer o quê?

Sentar e lamentar? Ou levantar e agir?

No meu ponto de vista, a segunda opção é a mais viável e cabível neste caso concreto.

Vem comigo!

Positiva aos extremos, com excelsa visão de farol alto, costumo dizer que o homem precisa encontrar água, onde só enxergam areia. Precisa ver lavouras prenhes de frutos onde todos só enxergam cactos secos!

Você pode me dizer: - Mas doutora, e qual seria a saída?

Inicialmente, cumpre dizer que você deve enxergar oportunidades inéditas para poder semear num solo batido.

Sim.

Veja o impossível!

Creia no improvável!

Pratique sua fé!

Lembra do belo Gilberto Gil? – “Andar com fé eu vou: a fé não costuma falhar”...

Enquanto escutei colegas destemperados e indignados com a nova implantada pelo MEC, meneei a cabeça em desaprovação ao desespero alheio, corri e anotei minhas ideias.

Agora, compartilho algumas ideias com vocês, caros leitores:

a) Não esqueça: Advogado é essencial ao exercício do Direito.
Atentou? Advogadooooo!
b) Com todo o respeito que os novos profissionais carecem, entenda que o artigo 133 da CF/88 não faz menção ao técnico em serviços jurídicos! É ao Advogado, e ponto final!
c) Advogado contratado tem salário determinado por sua OAB Regional e obviamente detém um piso salarial bem superior aos dos técnicos jurídicos.
Opa: Vejo uma possibilidade de economia para meu escritório: a contratação de um técnico para executar tarefas, outrora, típicas de Advogado.
Economia a vista!
c) Vai entrar mais dinheiro na minha conta!
Explico: como o técnico pode exercer, doravante, funções hoje, limitadas ao Advogado, lógico que ao ser contratado para determinado ato, este quantum deve ser, em função da nova, majorado e revisado, tendo em vista a imprescindibilidade da atuação de um Advogado!
- Olha a caixinha!!!
- Obrigadaa!!!

Estas são apenas algumas das vantagens que pude perceber a grosso modo, pois deserto para alguns é sinal de sequidão, mas para outros, cenário de oportunidades, superação, grandes ideias e prosperidade!

Na crise, acenda seu farol alto, mire as estrelas, mas trabalhe duro, viu?

276 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Só vai ser bom para os grandes escritórios pois para a jovens advogados vai ser terrível.

A advocacia está cada dia mais sendo depreciada, seja pelo judiciário, seja pelo MEC, e ainda tem pessoas que veem como algo positivo. Desculpe Dra. Mas nada de bom tem nesse curso técnico. continuar lendo

E outra, os estagiários com OAB já não fazem grande parte disto?! continuar lendo

Embora escreva muito mal, dizendo inclusive que os novos profissionais carecem de respeito, ela tem razão em um ponto. A Constituição Federal dispõe que o Advogado é indispensável à administração da Justiça (Justiça viu Dra., não do Direito, vez que existem vários operadores do Direito que não são advogados). Ou seja, salvo uma emenda constitucional que altere este artigo, o técnico em direito não poderá fazer a principal atividade do advogado, qual seja, advogar.
Deste modo, não vejo como o técnico em serviços jurídicos pode representar uma ameaça. continuar lendo

Apesar de achar um absurdo, como professor, advogados serem professores de Português no ensino médio, não desejo para eles essa forma de enfraquecimento de sua causa. É um acinte a categoria e como bem escrito pelo distinto comentarista, vai ser de grande ajuda para os grandes escritórios e um desemprego maciço dos estudantes que irão implorar estágio sem renumeração. Se olharmos um pouco a frente, como articulista desta página deseja, poderemos vislumbrar computadores realizando esse trabalho. Pelo menos a OAB "tentou" barrar tal absurdo para justificar seus valores cobrados anualmente. Pena que não conseguiu. Talvez na próxima oportunidade, com um esforço maior, consiga fazer jus ao seu sustento. continuar lendo

Cassi, veja assim: será superficial, raso, ralo, como todos os cursos técnicos (e até a massiva maioria das Faculdades de Direito), todos, indistintamente, são, no nosso país.
Ah, perdão, preciso fazer uma ressalva: o curso técnico de enfermagem (a depender da instituição), esse me parece o único com estruturação de respeito. Bem, e o resto, é assim: o resto. De resto, não vejo com que nos preocuparmos. continuar lendo

Eu sou de acordo com o MEC, pois o Técnico se trabalha mais, porém, enriquece seus conhecimentos! Eu por exemplo: sou técnico em contabilidade, mesmo sendo extinto pelo CFC, tenho meu direito adquirido e hoje sou muito bem sucedido na minha vida profissional. Sou sim, favorável a aprovação do Curso de Técnico Judiciário! continuar lendo

Pra mim tem é muito. Sorte se vc conseguiu concluir o curso superior. Vai ter muitos técnicos melhores que advogados e é disso que a OAB tem medo. Tem muito aluno bom sem condições de cursar faculdade enquanto tem muito filho de papai que não consegue nem tirar a OAB pois estudam pra ter posição não profissão. continuar lendo

É deboche? A autora trata a advocacia como se fosse uma carreira homogênea, de todos advogados com escritórios constituídos e bem estruturados, com bom fluxo de clientes e tudo o mais. Parece negligenciar que boa parte de nós está na vala comum do Contencioso de Massa, fazendo atividades que muitos de nós sabemos que poderiam perfeitamente ser feitas por um técnico em serviços judiciários, o que fortalece somente as grandes bancas que hoje contratam advogados associados como forma de burlar a legislação trabalhista. Para alguns o surgimento destes profissionais vão se descortinar como grandes possibilidades de enxugar a folha de pagamento e maximizar os lucros, e penso que a legislação foi feita, como tudo neste país, para agraciar os grandes players do mercado. Mas para a maioria se trata de extinção de postos de trabalho de forma massiva. continuar lendo

Este é o retrato Brasil, com quem tenho tido contatos de advogados, a maioria vivem na margem seca, já de quem está em grandes instituições acham que o mercado é bom, infelizmente é assim, uma grande minoria domina um centro, já a grande maioria estão a beira da falência, ainda mais agora num momento que o Brasil passa por dificuldades em todas as classes. continuar lendo

Sempre que noticiam assuntos relacionados à advocacia brasileira, lembro-me dos advogados dos seriados Simpsons e Suits. Como nossa grande maioria parece com os 1ºs sonhando chegar a ser os 2ºs... continuar lendo

"fazendo atividades que muitos de nós sabemos que poderiam perfeitamente ser feitas por um técnico em serviços judiciários"

Temos um testemunho de um advogado da utilidade de um técnico e a desnecessidade de um bacharel para fazer serviços que podem ser perfeitamente executados por técnicos. Chega de corporativismo! Baixa a República Sindicalista! continuar lendo

Temos 1 milhão de advogados. Parte expressiva o é pela necessidade de experiência jurídica, e/ou não tem vocação nem interesse em tal ofício. O resultado - uma das conseqüências fascinantes (e frustrantes) da reserva de mercado (em mão dupla - a OAB de um lado parasitando a classe, e exigências de experiência do outro) é que este fica saturado e desvalorizado. Oferta e demanda.

O Brasil precisa de mais técnicos, e de menos bacharéis. Invertemos a ordem das coisas. Mandamos o ensino técnico às favas, e como resultado, temos um excesso de profissionais formados inábeis às funções práticas. Se tivéssemos tantos torneiros e operadores de colheitadeira quanto advogados e concurseiros, não estaríamos em depressão econômica.

Que venham os técnicos jurídicos. Com sorte, corrigirão essas distorções, e ainda arruinarão a Guilda. continuar lendo

Amém a todos que não suportam a OAB, e a enxergam como ela realmente é. continuar lendo

Comparação não reflete a situação que tentou evidenciar, pelo contrário, temos muitos torneiros e operadores de colheitadeiras no Brasil desempregados, da mesma forma que advogados, o que falta é mercado de trabalho que remunere dignamente. A cada dia que passa fica pior para as funções específicas onde o desrespeito as qualificações obrigatórias não são respeitadas. continuar lendo

Parabéns Dra.. Boa Observação e muito bem colocado!

Me faz lembrar da Historia que segue. . .

O vendedor de sapatos
Era uma vez uma indústria de calçados que desenvolveu um projeto de exportação de sapatos para a Índia. Em seguida, mandou dois de seus consultores a pontos diferentes do país para fazer as primeiras observações do potencial daquele futuro mercado.
Depois de alguns dias de pesquisa, um dos consultores enviou o seguinte fax para a direção da empresa:

"Chefe, cancele a produção, pois aqui ninguém usa sapatos".

Sem saber desse fax, o segundo consultor mandou à direção da empresa a seguinte observação:

"Chefe, triplique a produção, pois aqui ninguém usa sapatos".

Moral da História:

A diferença do vitorioso é que ele foca na resolução do problema e não apenas no problema, e enfrenta os desafios apresentados. continuar lendo

Conheço esta historinha...
Penso deste modo!
Um abraço, caro Gilmar! continuar lendo

Bela História, parabéns, apesar vou copiar e colar no meu FACE, se lógico que citarei seu nome. continuar lendo