jusbrasil.com.br
23 de Setembro de 2019

Vaquinha Virtual para Advogados? Sem condições! Não convém!

Fátima Burégio , Advogado
Publicado por Fátima Burégio
ano passado

Estes dias têm sido cruciais ao bom andamento da minha Banca de Advogados. Isto porque, cada dia chego à conclusão de que, diferentemente das posições divergentes às minhas, de fato, não vale a pena sanar quaisquer tipos de dúvidas gratuitamente.

Explicando e Justificando a decisão

Ora, quando o internauta procura um Advogado, o faz munido de uma curiosidade exacerbada em saber a solução imediata para sanar o seu problema, mas na hora em que o Advogado revela o valor da consulta, o dever de assinar um contrato de prestação de serviços, comparecendo o mais breve possível ao escritório do patrono, o pretenso cliente trata de desligar imediatamente o telefone ou deixa de responder aos seus chamados via aplicativos ou e-mails.

É o velho dinheiro ditando as regras nas relações entre cliente e Advogado.

Poucos se dão conta de que o Advogado é um profissional como outro qualquer e que para poder sobreviver, é necessário arcar com pagamentos de contas indispensáveis e inadiáveis, tão, e igualmente corriqueiras na vida de todo o pacato cidadão, tais como: água, luz, telefone, medicamentos, aluguéis, vestes, calçados, lazer, alimentos, etc.

Obviamente que tais receitas para custear tais dívidas, são provenientes dos justos honorários que o profissional deve cobrar aos seus consulentes e clientes.

Simples assim!

Espirituosa e criativa que sou, estes dias, pensei:

- Tenho que trabalhar e granjear o meu pão cotidiano, pois é terminantemente proibida a angariação de recursos oriundos da modal Vaquinha Virtual.

Será que ficaria bem criarem uma Vaquinha Virtual para Advogados?

Vamos rir?

No meu caso, seria angariação de recursos para a Fatinha Virtual.

Que terrível!

Tô fora!

21 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

É o cúmulo mesmo. Outro dia um advogado até bem sucedido precisou de vaquinha pra o tratamento de uma doença rara. Muita gente da comunidade se mobilizou. Mas fico imaginando... Um pai de família com dois filhos e um a caminho, com tamanha capacidade intelectual e sucesso nas causas que patrocina, deveria ter recursos para cuidar da saúde. Me coloquei na pele dele e minha espinha gelou. Será que meu plano cobriria algo assim ou estaria pago em dia no momento da necessidade? Se fosse comigo, teria eu o recurso necessário? O imaginário popular de que advogado é ladrão, é o que leva as pessoas a não quererem pagar bem o advogado, por mais relevante e essencial que seja o nosso serviço. E é isso que nos leva a tanta indignidade. O único jeito mesmo é nos unirmos no propósito de não resolver o problema de seu ninguém de graça. Outro dia atendi o tal "sondador" de que já falamos recentemente. Pela conversa dele vi que além de já saber do direito (não se tratava de dúvida), já conhecia até a solução (pois já havia consultado outro profissional). Não cobrei consulta. Cobrei muito mais do que cobraria por uma consulta. Disse que se ele quisesse uma segunda opinião, ficando a minha portanto, ao crivo de terceiros e do próprio cliente, então isso teria um preço, que eu só não cobraria se me contratasse pra resolver o problema (eu sabia que ele não contrataria. O sondador nunca contrata, por isso mesmo é o tipo que precisa pagar de qq jeito). Por incrível que pareça, o sujeito queria tanto uma segunda opinião que aceitou pagar por um parecer e fiz um parecer por escrito. Precisei de coragem pra isso, pois o seu parecer passará de mão em mão de outros colegas e vc estará sujeito a opinião dos outros. Por isso mesmo cobrei caro pra isso. Já fiz pareceres antes, e acho que vale o esforço e compensa o advogado tomar coragem e fazer. Às vezes, é isso ou fazer de graça ou pela bagatela de uma consulta, oralmente, apresentando uma medida que pode de fato, resolver o caso e trazer um benefício econômico de milhares ao consulente sondador. Como disse Fátima, tenho contas a pagar e pessoas, inclusive idosa, que depende de mim. Não posso levar minha profissão na brincadeira. continuar lendo

O assunto é complexo ainda... Principalmente para quem está começando. Acho pouco provável que alguém em início de carreira seja tão criterioso.

Do lado de cá (ah... minha OAB chegou na cidade... estou aguardando algum filho de Deus ligar e dizer o dia da bendita cerimônia... nem deixaram eu dar uma espiada na carteira...malvados...) eu já paguei um salário-mínimo apenas para o advogado dar um telefonema sem sair da poltrona acolchoada...então... é complexo. continuar lendo

...O sondador nunca contrata, por isso mesmo é o tipo que precisa pagar de qq jeito)...

Essa do sondador, eu já sei como conduzir-me: fico no viva voz do telefone e deixo-o falar até onde quero. Depois digo: sei exatamente como te ajudar, mas apenas mediante consulta remunerada! Passe no meu escritório. A consulta custa X.
O cabra nunca passa, e dou uma tremenda risada pelo tempo perdido dele e aprimoramento de meus conhecimentos jurídicos e táticas com pseudos clientes ou escritórios concorrentes querendo testar minha desenvoltura.

...Como disse Fátima, tenho contas a pagar e pessoas, inclusive idosa, que depende de mim. Não posso levar minha profissão na brincadeira....
Obrigada pelo apoio, amiga!
#TamoJuntas continuar lendo

Fátima, sonhadores eu não me dou ao trabalho de responder por telefone. Falei de um caso concreto que chegou à minha mesa, no meu escritório. continuar lendo

E eu não respondo nada. Emudeço... E olha que é difícil viu? Sou falante pra chuchu... Rsrsrsrs continuar lendo

Bom dia Cara Dra. Fátima Burégio

Veja aqui só dois links como exemplo de quem pede ajuda para pagar OAB ou seguir fazendo faculdade de Direito. A coisa não está fácil para ninguém; no entanto, creio que eu também não teria coragem.

Dia desses em um grupo de advogados vi um rapaz pedindo ajuda para TIRAR OAB; ele passou no exame mas não tinha como pagar a anuidade....; você não imagina quanta crítica ele recebeu; poucos no grupo o apoiaram (pena que perdi o link disso. mas te passarei outros)....in box, aqui não dá mais para colar. rsrsrs (acho que o JUSBRASIL cansou de gente se publicizando).
Abraço continuar lendo

Sei lá... Bem que poderia ter uma "bolsa OAB"... Vez por outra sortear uma anuidade free... Algo do tipo.

Pedir, eu não pediria. Mas poderia até apoiar de alguma forma. continuar lendo

Cara Dra Elane,
Feliz em falar com vc!

Pensei que essa minha criatividade não tivesse, de fato, adeptos, mas estou vendo e constatando, boquiaberta, que o negócio é bem mais sério que imagino.
Cruz! Credo!!!

Descobri hoje três links de pessoas pedindo ajuda via Vaquinha Virtual para custearem despesas com Anuidades e atrasos na OAB no site www.vaquinha.com.br

Ainda ontem, recebi uma ligação de um pretenso cliente (num domingo, feriadão prolongado, às 21 horas, já de camisola, abraçada ao maridão), que queria apenas sanar uma dúvida.
Desconfiada, mas almejando faturar, eu disse que até sanaria suas dúvidas, que estaria disposta a conduzir-me ao meu escritório, mas que ele teria que pagar a consulta.
Tenho até uma nova aliada: Máquina que recebe pagamentos com cartão de débito e crédito e que é conveniada com várias bandeiras, inclusive!
Esta de adquirir uma Maquineta, vi num vídeo do Jusbrasileiro Dr. Philipe Monteiro e peguei a ideia dele! Rsrsrsrs
Menina, quase levei um sarrafo virtual@#$@#$#%$. kkkkkkkkkkkkkkk

Desliguei o telefone e sorri contando o caso para meus familiares e aproveitando para dizer aos meus parentes que eu sou a 'cobaia jurídica' deles, pois tais exemplos e experiências vivenciadas por mim, servirão de ensinamentos para que eles (filha já advogada, nora em fase terminal de graduação, e maridão que agora cismou de cursar Direito) não errarem quando estiverem atuando em fase futura.

Não dou informações de graça nem para minha Vovó!
Posso até pagar para uma colega atuar em prol dela, mas eu 'empaco igual burro' e não saio do lugar se não for plenamente remunerada!

E quer saber? Tem dado muitíssimo certo!

Quando sou solicitada via Aplicativo, agradeço o contato, peço para passar no meu escritório e aproveito e ensejo e já remeto o link de um vídeo meu em que brado ao Brasil que eu cobro consultas. continuar lendo

Não vejo problemas em dúvidas, se pontuais e genéricas se houver tempo para respondê-las.

Não sei se isso aconteceu com todo mundo, mas eu percebo uma certa aversão à advogados em início de carreira. Olhares do tipo "afff... não aprendeu isso na faculdade, não?".

Um amigo delegado já me disse que nenhum advogado ajuda o outro. Eles encaram novatos como concorrentes e jamais vão entregar o ouro... Palavras dele...

Então parece comum a detenção do conhecimento a todo custo. continuar lendo

Não se entrega ouro, nem prata, só COBRE! Rsrsrsrsr
COBRE derivando de cobrança de honorários, obviamente!

Seja Advogado novo, veterano, experiente, etc.

Um médico recém formado cobra consulta?
Um arquiteto cobra consulta?
Um veterinário cobra consulta?
Uma nutricionista cobra?
Um pedreiro cobra para dar um orçamento?

O tempo vai te ensinar, camarada!
Um abraço! continuar lendo

Esse é o ponto, Dra Fátima. Tempo.

Em início de carreira, exceto se já estiver estabelecido em outra profissão, com altas reservas financeiras ou "berço", inicialmente a porteira vai estar mais aberta do que alguns gostariam. Ainda que com o "tempo" essa mesma porteira feche.

E como já discutido aqui no JusBrasil, existe uma diferença entre consulta e esclarecimento de dúvidas. Principalmente quando essas dúvidas são esclarecidas em forma de artigos, videos, etc. continuar lendo

Consulta e esclarecimento de dúvidas pra mim é a mesma coisa...

Vi este debate e nem me dei ao trabalho de fazer parte dele, pois tenho 'ideia fixa' de que tais 'esclarecimentos' nunca trouxeram nenhum cliente ao meu gabinete e viver só de meros esclarecimentos, perdendo tempo e distribuindo conhecimento (ouro), não pagam e nunca pagaram as minha contas, caro Elenilton!

Nasci em berço de ouro, hoje sou pobre de Jó, conheço as duas faces.
Não mudei e não mudarei em nada; apenas quero e exijo que respeitem os valores da classe da qual faço parte e que cumpram as indicações dos preços mínimos (no mínimo) ali constantes.

Outros profissionais não têm o mesmo problema na percepção dos seus salários/honorários, só os Advogados e eu fico muito, muito irada com isto!

Grande abraço!
Vou trabalhar... chega de teclar por hoje! Rsrsrsrsrs continuar lendo

Advogado tem que cobrar consulta SIM!
Se o cliente quer assistência judiciária gratuita que procure a Defensoria Pública que é a instituição encarregada de fazer esse papel. continuar lendo

Dra. Fátima,

Gostei da matéria e de suas respostas, quero tirar uma dúvida, rs. Na minha cidade, os advogados não cobram consultas, já cogitei a hipótese de cobrar, mas fico receosa em perder clientes por conta disto. Você vê alguma solução neste caso? continuar lendo

Tenho todas as respostas. Te responderei no 'privado'.
Um abraço, Dra Fernanda! continuar lendo