jusbrasil.com.br
23 de Setembro de 2019

Ação ou Estagnação profissional? Você decide!

Fátima Burégio , Advogado
Publicado por Fátima Burégio
há 4 meses

Ouvi o Márcio Manincor dizer:

- Problema é um degrau, que, se a gente subir, a gente vai conseguir progredir na vida!

Tomando sérias e importantes decisões na carreira, escolhendo, quem sabe, uma nova pós-graduação, desta feita, ainda em Direito Civil, curtindo a carreira, sigo escutando empreendedores renomados, tais como o Márcio Manincor, que, coincidentemente é Diretor Comercial do Jusbrasil e Master Coaching experimentado em diversas nações e culturas, fácil foi perceber que o Advogado brasileiro precisa evoluir constantemente.


Fugindo das 5 desculpas

Com esta ideia fixa, qual seja: Comer, comer (comer conhecimento), é o melhor para poder crescer (profissionalmente), é momento de por em prática os conselhos de líderes tarimbados, ter em mente que avançar é preciso e que as cinco desculpas esfarrapadas impregnadas no ser de muitos de nós, Advogados, devem ser banidas e com a maior brevidade possível.

Nos ensinamentos do Manincor, ele, do alto da sua humildade e sabedoria, recomendou (gratuita e generosamente) ao ouvinte:

- Fuja das cinco desculpas que podem acabar com a sua carreira.
- Nos momentos de indecisão, é preciso clareza de ideias!

E eu, com olhos arregalados, pensei:

- O que esse sábio e carismático jovem de olhos amendoados vai me ensinar agora, meu pai?

Eis o que ele me ensinou:

Desculpa nº 1 – Sou muito novo para fazer o que tem que ser feito;

Desculpa nº 2 – Sou muito velho para fazer o que tem que ser feito;

Desculpa nº 3 – Não tenho o conhecimento necessário para fazer o que tem que ser feito;

Desculpa nº 4 – Não tenho tempo necessário para fazer o que tem que ser feito;

Desculpa nº 5 – Não tenho dinheiro suficiente para fazer o que tem que ser feito.

Estalei um beijo para a tela do computador como símbolo de agradecimento ao entrevistado, pelas dicas tão generosamente liberadas pelo Master Coaching, percebi que, em algumas situações da existência, me peguei fazendo uso de diversas desculpas pontuadas acima.

Ora, pós constatação, obviamente estressada e ligeiramente decepcionada comigo mesma, pensei:

- Hora de virar a mesa, minha filha!
- Hora de reinventar-se!
- Hora de sair do conformismo!
- Hora de rebelar-se e não aceitar, acatando pacificamente os ‘provérbios’ e desculpas herdadas de um mundo onde o diferente, o ousado, o incomum prevalece sobre o comum, o rotineiro, o basicão, o feijão com arroz; como diz aqui no Nordeste.

Refeita, dou de cara com um e-mail recebido do Leonardo Ostan, falando do sucesso da implantação do Jusbrasil Automação, as vendas iniciais que foram um sucesso, os preços bastante módicos (menos de 300 reais/mês) e convidando-me a entrar na fila de espera para novos escritórios.

Pensei mais uma vez:

- Como assim? Criaram o Jusbrasil Automação um dia desses e já completaram as quinhentas vagas iniciais?
- Qual será o segredo dos gestores jusbrasileiros?
- O que posso aprender com eles?

Quem não lembra que um dia desses um deles escreveu, lamentando:

- O Jusbrasil vai fechar em seis meses!

Passados alguns meses, a plataforma nem fechou; pelo contrário, adquiriu uma nova startup, mudou estratégias, investiu em pessoas, e, mês passado firmou parceria com o renomadíssimo e sério site Consultor Jurídico.

Partindo destes dados e números, uma pergunta não quer calar:

- Qual o segredo deles, minha gente?
- Como conseguiram mudar números, evoluir e investir em novos produtos e serviços, em meio à torrencial crise econômica que assola o país?
– Deve haver um segredo, e eu quero saber!

Ação ou Estagnação?

Já tranquilizada e com as ideias em ordem, retorno aos vídeos do Leonardo Ostan, do Márcio Manicor, medito nos ensinamentos do professor Evinis Talon em seu livro que trata da jornada de um Advogado, tomo um café forte, sento em meu escritório, revejo as estratégias firmadas no início do ano, altero veementemente algumas delas, sorrio com as conquistas, me entristeço com os inevitáveis tropeços típicos de uma Advogada nos primeiros anos de carreira, e, finalmente, constato:

- Se eu quiser, se eu me esforçar, se eu perseverar, se eu me capacitar, se eu não me conformar com a mesmice, é certo que não precisarei de grandes milagres, pois eu mesma farei uma revolução em minha vida!

Este é o maior milagre de uma vida: Muita Ação e Zero de Estagnação!

2 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Fico lisongeado pela menção no artigo, @fatimaburegio .

Como você, estou de pouco em pouco lutando contra essa estagnação no mundo jurídico. E pelos seus artigos e participação aqui na comunidade, dá pra ver que você também está nessa busca constante pela evolução!

Parabéns pela publicação! continuar lendo