jusbrasil.com.br
1 de Abril de 2020

FIES: Com 584 mil devedores inadimplentes há mais de um ano, MEC cobrará judicialmente os contratos atrasados

Fiadores e devedores serão cobrados na Justiça

Fátima Burégio , Advogado
Publicado por Fátima Burégio
há 3 meses

Pense numa bomba de final de ano:

Você, devedor do FIES (Fundo de Investimento Estudantil) será cobrado, não mais Administrativamente, mas Judicialmente, pelo débito contraído e não pago há mais de 365 dias, ou seja, há mais de um ano.

Sim, esta notícia fora plenamente divulgada ao apagar das luzes de 2019 e quase nada divulgada, ao meu sentir; motivo pelo qual, senti-me impulsionada a tornar mais conhecida tal decisão do Ministério da Educação.

Com 584 mil devedores, a solução encontrada será acionar judicialmente, tanto os devedores, quanto os seus fiadores.

Pelas regras vigentes, o FIES deve ser pago após 18 meses do final da graduação; no entanto, nem precisa ser Economista para perceber que o índice de inadimplência apresentado, está, de fato, bastante alto, impulsionando o MEC (Ministério da Educação) a tomar a seríssima decisão de acionar judicialmente os devedores.

O programa do Financiamento Estudantil (FIES) segue com restrições cadastrais bem mais severas, e, na reportagem que li, curiosamente, já relatam que os discentes fecham, nos dias atuais, mais financiamentos bancários e diretamente com as (Instituições de Ensino Superior) IES, de que, propriamente, junto ao programa estudantil FIES.

Oh, bronca medonha!

Educação é tudo, mas o dever de quitar o débito contraído também é salutar.
Por outro lado, o profissional até consegue concluir a graduação, mas, diplomado, de posse do canudo, não consegue emprego; daí a coisa tende a complicar...

Estatísticas indicam que o prejuízo está estratosférico e a inadimplência galopante, motivando a cobrança judicial que será implantada em breves dias.

Desta forma, segue a dica:

Caro devedor, se você tiver como rever esta situação, tente resolver e firmar acordo Administrativamente, e, dentro das suas possibilidades; cumpra o pactuado. E mais um recadinho: Só firme acordo se, de fato, tiver condições de pagar. É melhor que ser citado (popularmente intimado) para responder e quitar a dívida judicialmente, prejudicando, tanto o seu bom nome, quanto o do seu Fiador.

Eis o link da matéria que objetivou este artigo.

Se desejar, assista ao vídeo no meu canal Youtube onde trato de idêntico tema.

121 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Só eu conheço uma PANCADA de gente que tá devendo FIES e não perde quinze minutos de sono ao ano por este motivo. A sensação que eu, pessoalmente, tenho, é que as pessoas realmente acharam que não iam precisar pagar. Que seria só não pagar e esperar a dívida "prescrever". Brasileiro é expert nesse tipo de malandragem. "ah... Tá na Constituição, educação é obrigação do Estado e direito de todos". Sim, mas se vc escolhe estudar numa particular, vc tem que pagar. Povo folgado. Eu estudei de graça, porque fiz uma estadual. Se eu fizesse particular, teria que pagar. O governo já ajuda com o programa FIES, mas vc dá a mão e o povo quer o braço todo: não basta disponibilizar o programa? Não? O governo tem que "pagar" também? Faz favor. É o velho exemplo de redutio ad absurdum que eu gosto de usar: eu tenho direito de ir e vir e escolho andar de carro. Então o Governo tem que bancar uma ferrari pra mim porque eu gosto é de ferrari. Ah, não tem ônibus do meu bairro para o lugar onde eu trabalho, então o governo tem qeu me dar um carro e o carro que eu escolher". Ah, q exagero. Pois é. O exemplo é pra ser exagerado mesmo, pra ver se entra na cabeça do povo a situação. Eu morro de medo de fazer dívidas e não conseguir pagar. E vejo pessoas sem nenhuma condição assumindo compromissos monumentais. Tá, é bom a gente ter fé em Deus, ter fé na vida, ter fé de que vai dar tudo certo, mas péra lá. Um tiquim de pé no chão tb é bom, obrigada. Por que a pessoa não faz antes um curso profissionalizante, arruma um emprego, ganha o seu salário e só aí parte para um curso superior noturno, sabendo que enqto o sucesso na carreira de nível superior não chega pelo menos ela já está no mercado de trabalho e já tem de onde tirar recurso pra ir pagando as dívidas que fez pelo caminho? Ué. Ou então batalha atéééééé conseguir ingressar numa pública. Aí é garantido que é de graça de verdade. Metade de minha turma na faculdade era de gente madura, gente que já entrou na facu com idade de estar formando ou até muito mais, porque foi gente que trabalhou e estudou, pagando seus cursinhos, e sustentando família, tudo junto, até conseguir passar porque tinha consciência de que não tinha condição de ingressar numa particular. E já existia FIES tá? Nem vem dizer que o mundo foi inventado ontem pra vcs, jovens de hoje em dia. O mundo é velho. Financiamento estudantil sempre existiu e mais: no meu tempo (turma 97) já era esse FIES aí que os jovens de hoje conhecem. Mesmo assim, o povo de meu tempo era pé no chão. O povo de hoje vive no mundo da lua. Eu lamento muitíssimo por essa pancada aí. Mas todos irão sobreviver. Os percalços fazem parte da vida. E ninguém pode ser culpado das consequências de nossos atos a não ser nós mesmos. Assumimos dívidas sabendo muito bem que teríamos que pagar. Fingir que não precisa pagar e não pagar não faz a dívida sumir. Só faz é aumentar. Que isso sirva de lição. Enqto isso, o melhor a fazer é correr no banco e negociar alguma coisa em vez de continuar fazendo o que esteve fazendo esses anos todos: nada. Quem não fizer nada, vai acabar acionado na Justiça. Ah, mas meu curso não deu em nada, não consigo atuar na área, estou num sub emprego. Como diria meu pai, quem não ouve conselho, ouve coitado. Nunca, em tempo algum, mesmo antes da Internet, faltaram informações sobre o mercado de trabalho e quem pesquisou sempre soube a quantas andava. Se você ouviu falar a vida toda que o curso de enfermagem não estava valendo a pena, quem mandou fazer enfermagem? A pessoa acha que" com ela será diferente ". Ah não, eu sou muito inteligente, sou acima da média, comigo será diferente. Vou ser tão f%[email protected] que os hospitais vão brigar pra me contratar pagando 10 vezes mais que a média salarial da categoria. É sério? Mesma mentalidade da mulher que casa com um sujeito que tem ordem restritiva contra ele pela ex, e acha que com ela" será diferente ". A outra que é burra, por isso apanhou. Eu sou muito f%[email protected] então não vou apanhar. Mesma mentalidade.
Gente, gente, acorda! Só digo isso: acorda. Pode reclamar de governo, pode reclamar que a culpa é do PT por ter enganado vocês, pode reclamar que a culpa é de Bolsonaro que tá cobrando uma dívida que vcs pensaram que não iam pagar nunca, reclamem à vontade. Mas ninguém irá avançar na vida enquanto não se conscientizar de que a culpa pelas consequências de nossas ações e omissões é só nossa. continuar lendo

Eita que ela mandou ver!!! Rsrsrsrs
E eu concordo com tudo o que escreveu.

Não devemos culpar partido disto ou daquilo outro.
Deve, dê seu jeitinho e pague!

Gostei desta parte da fala da Dra Christina:
"Eu morro de medo de fazer dívidas e não conseguir pagar. E vejo pessoas sem nenhuma condição assumindo compromissos monumentais. Tá, é bom a gente ter fé em Deus, ter fé na vida, ter fé de que vai dar tudo certo, mas péra lá. Um tiquim de pé no chão tb é bom, obrigada".

Issoooo!
O danado é que muitos curtem viver uma vida eivada e cliques, curtidas e ostentação, mesmo que, para tanto, sacrifique o "bucho".

Lá no Ceará tem um ditado que diz:
"Tem gente que vive estilo viva o luxo e morra o bucho".
Bucho, aqui no Nordeste, é o mesmo que barriga.

Um abraço, minha cara! continuar lendo

Parabéns, muito bom! continuar lendo

Vou apresentar alguns itens que, apesar de todo o seu discurso, não passaram pela sua mente: trata-se de longo financiamento. Vai ter gente que está devendo por mais de um ano por desemprego, por separação, por problemas de saúde....
Acredito que a sua resposta serve para quem teve o pensamento de fazer faculdade e não pagar. Pergunto-lhe: quem é o "vagabundo" que quer fazer faculdade?
Acredito que existe uma mentalidade coletiva de que haverá mais opções de emprego com o "canudo" na mão. A verdade é que existe a esperança de um salário maior seja na área pública ou privada. O que ocorre na vida pessoal de cada um, não podemos saber.
A uns dois anos atrás, vi uma reportagem na TV sobre os devedores do Fies. Nenhum deles pensou que seria devedor. Só pensaram que seria possível estudar mais perto de seus trabalhos e família para encaixar horários e o desejo de um salário melhor.
Praticamente nenhum havia deixado de pagar o FIES durante os primeiros anos da cobrança. São muitos anos, os filhos nascem, alguém da família ou o próprio ficou mal de saúde, não havia quem ajudasse, etc.
Tem gente que ficou devendo no último ano!
Todos sabem que serão acionados mas, sabendo que foi difícil conquistar o diploma, nenhum desejou ficar sem pagar.
Havia cobranças de parcelas de R$100!!!! Acredite... Quem tá sendo cobrado, nunca pensou em ficar devendo.
Ou seja, a escolha pela faculdade particular não foi um luxo, mas uma oportunidade que pode ser bem aproveitada ou não mas quem sou eu para dizer o que acontece na vida de cada um, não é mesmo?
Vejo muita gente querendo dar lição.... Bom, para quem é exemplo de vida, não precisa de "textão" para demonstrar que o seu sucesso não veio com empatia.
E se isso lhe falta, talvez não tenha tido tanto sucesso assim.
Infelizmente, vejo esse tipo de cultura de "apontar o dedo"... Não esqueçam: outros três apontam para si e um para Deus.
Confesso que não conheço a minoria que pensou em "dar calote" ou que vive de luxo... Com certeza existe, mas não é a maioria não e sabem sim que serão um dia acionados na justiça e vai dar bastante trabalho para a Defensoria pública.
Espero que o valor seja recuperado. Vamos ver as penhoras nas contas e bens dos que são como a Sra descreveu pois os que não tiverem essa índole também terão de responder mas com maiores consequências danosas.
Vale a reflexão.
Espero que tenhamos todos como resolver nossos problemas, e logo! continuar lendo

Ta no DNA do "brasiulero" ser forgado continuar lendo

Muito boa a tua colocação. Nada de ficar passando pano e vitimizando . Concordo com tudo sem tirar nem pôr. continuar lendo

A senhora diz que estudou de graça porque estudou numa universidade pública estadual, não estudou de graça não, a senhora pagou por esse curso e a sociedade também pagou. Agora quanto ao governo ou bancos cobrar o valor devido é a lei, nada em desacordo com o contrato, agora se faltou bom senso dos financiadores cobrar judicialmente cada um com sua opinião, se faltou bom senso dos devedores procurar oportunidades de pagar também não sei. Certo que nada garante que os bancos irão receber, eu digo que não receberão. continuar lendo

Nossa, ficou maior que a matéria :) continuar lendo

Parabéns a autora pelo texto e a você, Christina Morais, pelo ótimo comentário. Concordo com tudo que você falou, na minha época, e não faz muito tempo isso (anos 2000 por aí), nós tínhamos que fazer assim mesmo, trabalhar em algo durante o dia, que nos desse condições de pagar a faculdade à noite (ponto)! E, até onde eu sei, estamos vivinhos da Silva, ninguém morreu por ter feito esse "sacrifício". continuar lendo

@evfloresadv

Absolutamente TUDO do que vc disse na sua resposta foi sim considerada por mim no meu comentário que vc respondeu. Leia novamente com olhos menos críticos e menos defensivos e vc absorverá o conteúdo com outra mentalidade. Sobre a palavra "vagabundo", essa fica por sua conta, porque eu não falei de vagabundo no meu texto. Falei tão somente da "malandragem" do brasileiro, no sentido de achar que tudo se resolve no jeitinho. E se não tiver jeitinho é só não fazer e tá resolvido. Eu conheço bem essa mentalidade do "devo, não nego, pago quando puder". E é dela mesma que estou falando, caso não tenha compreendido. Além do mais, sinto muito, mas uma advogada que escreve "há", do verbo "haver" sem H, deve olhar para si mesma e receber ideias que promovam o amadurecimento da mentalidade das pessoas, com foco na realidade, com mais carinho, em vez de só ficar ocupada em fazer um texto de escusas. Como eu disse ao final do meu comentário, o qual não mudo nada, apesar de tudo que vc pontuou, quem não se conscientizar de que a responsabilidade de nossas ações é só nossa, não vai pra frente. Simples assim. Eu também já fiz compromissos que não consegui cumprir e suportei (sem reclamar), todas as consequências. Perdi escritório, carro e muitas coisas para saldar dívidas que eu não consegui manter em dia. Qdo as assumi, pensei também "que tudo daria certo". Mas não deu e também fui atropelada por uma série de imprevistos que atrapalharam. Então eu arquei com as consequências e não fiz disso um cavalo de batalha. Não fui pra internet reclamar da vida. Assumi as perdas e toquei a vida e recuperei tudo em dobro, com trabalho e dedicação. Se algo no futuro de novo não der certo, eu recomeço e recomeço quantas vezes forem necessárias, até que a morte me pare. É essa consciência que falta às pessoas, na minha opinião, que não mudo: falta responsabilidade. Responsabilidade não é só pagar em dia dívidas (às vezes fica impossível mesmo). Responsabilidade é não se chocar quando as consequências pelo atraso batem à sua porta. Responsabilidade é saber escolher as batalhas, e quando tomar uma decisão de alto risco (como optar por financiar um curso em baixa no mercado de trabalho), estar preparado para assumir esse risco. O que eu quis dizer no meu texto é simples e todas as variáveis que vc apresenta no seu (texto), não afasta os princípios que eu apresento no meu (texto). Mesmo assim, eu agradeço muito a você por comentar porque seus comentários certamente ajudam sim as pessoas a tomarem consciência de todos os riscos em jogo quando assumem um compromisso considerável de longo prazo. Seu comentário pode ajudar muita gente a botar o pé no chão. E agradeço por isso. continuar lendo

A cobrança judicial sempre existiu, o que mudou foi o fato de que as pessoas contrataram achando que não precisariam pagar e em 5 anos prescreveria. Tolice. Após o processo inclusive há bloqueio de saldo bancário. De que adianta a pessoa ter um diploma e não poder ter sequer uma conta bancária? continuar lendo

Dra Christina de Morais, vou tomar a liberdade de USAR TODAS suas citações a respeito do que penso sobre o assunto e, "zefini"... continuar lendo

Concordo em tudo sobre o lado do brasileiro e essa "cultura" de enrolando é que não se paga, e isso inclui qqer nível de formação, pois graduação acadêmica em curso ou completa não blinda com absoluta idoneidade a ficha do crédito de ninguém. O setor comercial que o diga. continuar lendo

É muito facil falar quando se está de fora. Ou então utilizando de solipsismo! Não sabemos o que essas pessoas passam na vida. Não conhecemos toda a história de vida das pessoas e os motivos pelos quais não estão conseguindo arcar com a responsabilidade do financiamento. É muito cruel um julgamento deste tipo e ainda baseado em.premissas particulares e preconceituosas. Coloque-se no lugar das pessoas... vamos ser mais empáticos. O mundo já é tão cruel! continuar lendo

@leonardolimax

Preconceituoso é o seu julgamento sobre minhas ponderações mais que racionais. Ninguém deseja mais o bem e o melhor pra gente que nossos pais. E os meus, justamente por isso, considerando que o mundo não é fácil, me prepararam pra vida. Pra ser pé no chão e ir com cautela sem dar um passo maior que as pernas. Chororô não vai melhorar a vida de ninguém. O que melhora é estar preparado para todos os infortúnios que podem vir. E se vc não leu minha outra resposta a um comentário como esse seu, pode ler. Talvez assim não julgue que estou falando sem propriedade, como alguém "de fora". Sei bem o que é assumir compromissos vultosos e não dar conta. Eu mesma já perdi muito arcando com as responsabilidades que assumi. A diferença é que enfrentei tudo sem reclamar da vida. Quando a gente assume as rédeas de nossa vida e nosso destino, é libertador! É basicamente disso que estou falando. Ou então a gente pode suportar tudo no vitimismo e acrescentar mais sofrimento ainda a um momento difícil da vida. Se somar sofrimento é sua versão de empatia, então que seja. Cada um com sua opinião. Eu prefiro mil vezes alertar as pessoas a serem cautelosas, e também a se manterem firmes e preparadas para tais dificuldades, psicologicamente preparadas para as consequências dos riscos que assumem. Isso sim, na minha opinião, trás mais consciência na hora de escolher e ponderar os riscos que se pretende assumir, o que vai gerar paz de espírito e força pra pessoa superar tudo e avançar na vida... continuar lendo

Talvez seja porque a senhora tenha tido condições de se preparar para enfrentar um vestibular em uma universidade pública,coisa que muitos que dependem ou dependeram do FIES não tiveram.Falar e julgar quem,por motivos que desconhecemos, está nessa situação é fácil,quero ver é ter coragem de enfrentar o que eles enfrentaram ou enfrentam ainda hoje na sua luta diária,pelo simples fato de que também tem direito de usufruir dos raios de sol que nos brindam todos os dias.Obs: Fui financiado pelo FIES e diga- se de passagem ainda estou pagando e isso talvez porque eu não tive condições de me preparar para competir com aqueles que possuem um poder aquisitivo alto,tem condições de pagar uma faculdade,mas na realidade,incoscientemente ou não, acabam empurrando os que tem menor poder aquisitivo para as garras do governo e depois ainda são duramente criticados. continuar lendo

@jesusmoreiradasilva

Quem está me julgando é o senhor, que não me conhece e já criou minha história de vida na sua cabeça, conforme o seu melhor achismo. Lamentável que um advogado não consiga refutar um argumento com o qual não concorda sem atacar a pessoa de quem discorda. continuar lendo

Quem estuda em uma Federal ou Estadual não estuda "de graça".

Muitos dos "trouxas" que acabaram contratando o FIES pagaram a sua faculdade.

Então cuidado no uso da palavra. continuar lendo

@thiecri concordo. Quando eu disse "de graça" foi dentro do contexto em comento (incrível ter que explicar isso) de despesa direta no bolso do consumidor, no caso, o aluno que precisou financiar o curso. Não estou falando da despesa indireta que o ensino público custa a todos sem distinção de forma indireta por meio de nossos impostos. E é bom mesmo ter cuidado no uso das palavras ao chamar as pessoas que contrataram FIES como único meio de estudar de "trouxas". Eu não fiz isso, vc que fez. Fiz foi um alerta para que as pessoas estejam preparadas para assumir as consequências de seus atos e também para que pensem melhor nos prós e contras na hora de escolher qual curso financiar. Tem muita gente devendo financiamento de curso que já estava em baixa no mercado quando a pessoa contratou o programa. Sendo este o maior motivo pelo qual têm dificuldade de ingressar e se manter no mercado e mesmo ingressado, de auferir renda suficiente para o sustento próprio e de sua família e ainda conseguir pagar o financiamento. Cautela e canja de galinha não fazem mal a ninguém. Impressionante como as pessoas reagem mal quando a gente fala umas verdades. Realmente a verdade é pra quem tem pé no chão. Como eu disse no meu texto, o povo de hoje vive no mundo da lua. Acha que vão perder um braço se se derem o trabalho de parar pra pensar por um segundo antes de tomar uma decisão importante, como financiar pelo prazo de uma vida um curso com pouca ou nenhuma chance de carreira e retorno financeiro. Como "canudo" por si só não põe comida à mesa, taí o resultado que não me deixa mentir, por mais que me alfinetem e até me hostilizem aqui como se eu fosse o monstro da história. continuar lendo

Muito bem colocado. Só corrigindo, você não estudou de graça porque fez uma faculdade estadual, o estado bancou a sua graduação com o dinheiro do contribuinte. É importante essa colocação para conscientizar as pessoas de que não existe nada grátis. continuar lendo

Boa tarde,

Eu sou uma devedora do fies, eu não devo pq eu quero! Estou desempregada a três anos mal consigo me alimentar com esses pequenos bicos que eu faço.
Não generalize, eu nunca fiquei devendo ninguém antes.
A pior coisa que eu fiz foi essa desgraça de faculdade financiada. continuar lendo

@vanessavelozo2122

De minha parte, eu entendo completamente a sua situação e acho, sinceramente, que vc é uma vítima. Meus argumentos não são para atacar devedores do FIES, por serem devedores, e sim a educação péssima que nós temos, em achar que tudo podemos mesmo quando não devemos. Não conheço sua história de vida, não sei em que curso vc se formou, etc. Mas é fato que o governo, mesmo sob a gritaria das classes profissionais alertando que não havia mais espaço no mercado de trabalho, não parou de aceitar e regulamentar mais e mais cursos superiores, mesmo sabendo que toda aquela gente não teria uma mísera chance que fosse. E por que isso? Porque com o dinheiro dos outros tudo é fácil. Tem até um filme americano cujo título em português, com Denny De Vitto estrelando que se chama "com o dinheiro dos outros". O que ocorre, colega é o seguinte: por mera politicagem, pra financiar cabides de emprego e outras situações, eles abrem cursos que realmente não vão dar em nada para os futuros formandos, pois o mercado está saturado naquilo ali. Vc financia pelo FIES e fica devendo "o banco", mas o "dono" da faculdade já recebeu o dele e tá cagando para o destino do país e pior ainda, de seu alunos egressos. Essa é a verdade. Vc pode ou não concordar comigo. Mas é a impressão forte que tenho sobre o tema. O que poderia mudar esse cenário? Pé no chão. Ensinar as pessoas que há vida fora do canudo. Existem cursos técnicos e profissionalizantes que o mercado necessita. Enqto uma pessoa se endividou PELO RESTO DA VIDA, pra fazer um curso que nunca irá pagar um salário superior a dois salários minimos, isso se conseguir vaga no mercado, a indústria traz do exterior técnicos que vão ganhar cinco vezes mais que um profissional de nível superior do nosso país. Só porque eles sabem fazer o que ninguém aqui sabe fazer, pois aqui, no Brasil, estão abrindo e oferecendo aos jovens os cursos errados, que não têm vaga no mercado nem nacional e nem internacional. Vendendo a ideia de um sonho que nunca se realizará. O fato é que para a maioria dos mortais, financiar uma faculdade é como financiar qualquer bem durável: vc precisa pesar os prós e contras, vc precisa saber se vale a pena o custo/benefício, etc. Eles te vendem a ideia de um "direito" (ter um curso superior), mas te omitem uma realidade básica, referente à obrigação que precede o exercício desse "direito": pagar! Não é pagar "agora". Sim, vc pode financiar. Mas valerá a pena? Vc financiaria a compra de uma casa se soubesse que nunca iria dormir uma noite sequer debaixo do teto pelo qual pagou por 30 anos? Entenda a educação como um bem qualquer. É investimento FINANCEIRO. Sem retorno, o resultado é prejuízo na certa. Como eu disse, a pessoa pode ou não "concordar", mas a "não concordância" não irá mudar o resultado. E tem muito devedor de FIES aí no mundo pra não me deixar mentir. Meu conselho é o seguinte: da próxima vez em que vc for investir em alguma coisa, não compre uma ideia, compre a chance de um resultado. Te garanto que isso pode mudar sua vida. Ou a de seus filhos, caso vc decida acreditar em mim e aconselhar quem vc ama apresentando alguma concretitude de chande no resultado, nas opções de escolha que a vida irá oferecer a essa pessoa. continuar lendo

Cai por terra a farsa ptista do acesso ao ensino universitário, sem ônus! Em lugar de garantir ensino técnico, planejado, de acordo com a demanda das indústrias, o PT priorizou a demagógica oferta de curso superior, enriquecendo os donos de universidades sem qualquer perspectiva de emprego para os futuros formandos. Esses jovens terão que recorrer a seus pais, ou ficarão com os nomes sujos na praça. Não existe almoço grátis. continuar lendo

Estou tão preocupada com este assunto, vc crê?
Educação é tudo!
Sem educação um país não tem como avançar.
Por outro lado, entendo correta a cobrança, desde que abram espaço para negociações justas
No entanto, com um desemprego alto e muitos profissionais, principalmente Engenheiros, desocupados, a coisa fica mais tenebrosa ainda.
Mas vamos torcer e erguer a cabeça.
Não quero culpar governos ou partidos, só me preocupo com os nossos estudantes e trabalhadores.
Um abraço e tenha um 2020 bem gracioso! continuar lendo

Mais um falando asneira, procure saber o que é FIES que é um financiamento que já existia antes do PT e foi AMPLIADO significativamente nos governos do PT e o PROUNI que foi criado pelo PT que dá bolsas INTEGRAIS DE 100% e parciais 75% e 50% em universidades particulares. Em virtude da mistura de Gesuis com Genésio, ficam por aí divulgando Fake News. Ademais quem fez o contrato do Fies tem o dever de pagar, mesmo que a economia vai mal. O financiamento estudantil é uma política de governo correta, se há calote deve haver alternativas para quitação dos débitos.
Fies e Prouni são programas distintos. continuar lendo

Exato Guilherme Rodrigues como o financiamento habitacional já existia antes do Sr Luiz Inacio Lula da Silva ser presidente da republica também já existia o FIES, porem a diferença está na responsabilidade na concessão de crédito e um foco no ensino técnico que é mais adequado as vagas disponíveis no mercado de trabalho. Antes do PT não se desperdiçava dinheiro destinado a educação com populismo eleitoreiro continuar lendo

Exatamente o que penso há anos!!! Talvez agora muitos entendam que partido político não está preocupado em dar educação e tirar ninguém da miséria. Uma hora a conta ia chegar!
Obs: Precisei utilizar o FIES, pago e pagarei pontualmente até 2024. Ou seja, ninguém promoveu minha educação gratuitamente. Estou apenas devolvendo com juros o valor que foi adiantado para quitação junto à instituição estudantil. continuar lendo

Amigo o PT só respondeu a uma demanda sinalizada pelo mercado. Agora se te serve de consolo o PT também criou centenas de escolas técnicas por todo Brasil, pesquise. continuar lendo

Comentário sem nenhum propósito colaborativo ou crítico, quanto ao artigo e sim um ataque rancoroso contra as políticas públicas do Partido dos Trabalhadores. Pela foto imagino que na tua época de faculdade não havia nada disso. Então estudava quem podia pagar particular ou quem podia pagar cursinho por anos para passar nas Universidades Públicas, ou seja, todos ricos.
Quanto ao texto, quem deve tem que pagar. Porém também entendo que o recurso público precisa ser melhor gerido e aplicado, de forma que esses 584 mil devedores não são diferentes dos bilhões de dívidas de grandes empresas com o governo e não vejo alarde de que serão cobrados. continuar lendo

Infelizmente a realidade é essa. Se devo, pago. Se não pago, posso ser executado. Seguindo essa lógica... entendo correta tal cobrança, desde que se verifique, sobretudo, o valor dos juros, que em hipótese alguma, deve ter caráter abusivo. continuar lendo

Ok. Financiou, estudou, não tem como pagar, pague com serviço voluntário em hospitais, postos de saúde, escolas, prefeituras.. sempre há o que fazer... continuar lendo

Concordo plenamente contigo! continuar lendo

Também acredito na flexibilidade, não é todo brasileiro que age com má intenção. Também devolver o investimento em forma de serviço pode ser interessante já que há tanta área carente de profissionais especializados.... Mas o duro é que tudo no Brasil vira bagunça e sempre tem a exploração né, vai saber a melhor solução.... Eu tenho 43 anos e ainda não tenho como pagar uma faculdade mas fiz curso técnico pelo Estado o que não me garantiu nenhum emprego pelo meu conhecimento, só sub emprego, valeu pelo o que aprendi, mas ainda não me arrisco a pagar uma faculdade com empréstimo, mas com o advento do EAD quem sabe né, estou juntando pra pagar a vista, me preparando como autônoma mesmo.... continuar lendo

Tá. O problema é o banco concordar com isso. Ao contrário do que muita gente imagina, essa dívida não é com "o sistema". Não é com "o governo". Essa dívida é com o banco. A faculdade já recebeu. O banco é que é seu credor. E eu nunca vi banco, público ou privado, aceitar prestação de serviços no lugar de prestação pecuniária DEVIDA. continuar lendo